Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Caçador
Início do conteúdo da página

Estágio de Caçador

Publicado: Quarta, 31 de Janeiro de 2018, 23h47 | Última atualização em Segunda, 30 de Abril de 2018, 23h44 | Acessos: 38344

O CAÇADOR DE OPERAÇÕES ESPECIAIS

 “A diferença mais importante entre um caçador e qualquer outro soldado diz respeito às suas habilidades mentais. É indiscutível a exigência de um elevado nível de coragem, técnicas de combate e habilidades de tiro, mas o mesmo acontece com a maioria dos soldados. A maior distinção repousa no fato do caçador ser emocionalmente capaz de matar a sangue frio. Ele pode, por exemplo, acompanhar a rotina de um alvo em seus afazeres diários, para eliminá-lo dali um dia ou dois”

 (ROBERT STIRLING, Special Forces Sniper Skils).

          O Caçador de Operações Especiais é um voluntário selecionado, especialmente treinado em avançadas técnicas de tiro e progressão no terreno. Ele pode suportar missões de operações especiais e está habilitado a engajar alvos selecionados de posições ocultas sob condições e distâncias não possíveis ao atirador comum.

          As habilidades do Caçador de Operações Especiais ultrapassam os limites dos conhecimentos técnicos e táticos da atividade do tiro de precisão. É necessário, antes de tudo, que ele seja um perito em TTP de Operações Especiais, particularmente em entradas táticas e ações diretas, pois seu emprego, via de regra é conjugado com esses tipos de ações. Entender como uma Equipe Operacional poderá realizar uma entrada em um aparelho ou como um inimigo pode atuar de maneira furtiva sobre a equipe, são premissas fundamentais para que a iniciativa do caçador possa influenciar positivamente no curso das operações através da informação com oportunidade ou com tiro seletivo.

 

OBJETIVOS DO ESTÁGIO

a. Estágio de Caçador de Operações Especiais - OFICIAIS

   1) Habilitar o militar para ocupação de cargos e ao exercício de funções nas Organizações Militares operacionais do Comando de Operações Especiais e no Centro de Instrução de Operações Especiais, de acordo com os Quadros de Cargos Previstos (QCP), capacitando o oficial a:

      - Exercer a função de Comandante e Subcomandante de Destacamento de Reconhecimento e Caçadores (DRC);

      - Integrar de Estado-Maior de Destacamento Operacional de Forças Especiais (DOFEsp)

      - Coordenar e ser Instrutor Estágio de Caçador de Operações Especiais; e

      - Planejar e conduzir o preparo e emprego de Equipes de Caçadores.

b. Estágio de Caçador de Operações Especiais - SARGENTOS

   1) Habilitar o militar para ocupação de cargos e ao exercício de funções nas Organizações Militares operacionais do Comando de Operações Especiais e no Centro de Instrução de Operações Especiais, de acordo com os Quadros de Cargos Previstos (QCP), capacitando o sargento a:

      - Exercer a função de Comandante de Equipe de Caçador;

      - Exercer a função de Caçador e Observador do Destacamento de Reconhecimento e Caçadores e dos Destacamentos Operacionais de Forças Especiais;

      - Exercer a função de Monitor do CI Op Esp;

      - Conduzir o preparo de Equipes de Caçadores.

 

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

a. Requisitos exigidos para a inscrição de militares do Exército Brasileiro

   - Possuir o Curso de Ações de Comandos;
   - Estar servindo em OM do C Op Esp ou na 3ª Cia FEsp;
   - Não estar sub judice, nem indiciado em Inquérito Policial Militar (IPM);
   - Se sargento, possuir no mínimo o comportamento “BOM”;
   - Estar apto no Exame de Controle Anual para Atividade Aeroterrestre, devendo comprová-lo por ocasião da apresentação no CIOpEsp;
  - Ter obtido no último Teste de Aptidão Física antes da matrícula no Estágio, no mínimo, menção "MUITO BOM", devendo comprová-lo por ocasião da apresentação no CIOpEsp.

b. Requisitos exigidos para a inscrição de militares não pertencentes ao Exército Brasileiro

   - Ser de posto ou graduação equivalente às exigidas para os militares do EB e ser integrante estabilizado de Força Armada ou Singular, nacional ou estrangeira;
   - Possuir o Curso de Ações de Comandos ou análogo, com referido diploma/certificado anexado ao requerimento, e estar servindo em Unidade de Operações Especiais da Instituição do candidato;
   - As praças e graduados devem estar classificados no comportamento “BOM" ou equivalente;
   - Ter obtido no último Teste de Aptidão Física antes da matrícula no Estágio, no mínimo, menção "MUITO BOM", de acordo com os índices da Diretriz para a Avaliação Física do Exército Brasileiro (EB20-D-01.039), devendo comprová-lo por ocasião da apresentação no CIOpEsp;
   - Estar apto em na Inspeção de Saúde por ocasião da apresentação no CIOpEsp, com os exames solicitados;
   - Os candidatos das Forças Auxiliares devem atender às prescrições contidas na Ficha de Orientação Geral – PM/CBM – IGPM/3ªSch/COTer, referente à concessão de vagas às outras Organizações Brasileiras em Cursos e Estágios do Exército Brasileiro;
   - Os militares de Nações Amigas devem ter fluência no Idioma Português, atestada por meio da obtenção do nível intermediário do Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (CELP-BRAS) ou pela realização do Estágio Idioma Português e Ambientação do Centro de Estudos de Pessoal/Forte Duque de Caxias (CEP/FDC); e
   - Os militares de Nações Amigas devem atender às prescrições do Plano de Cursos e Estágios de Militares Estrangeiros no Exército Brasileiro (PCE-MEEB).

 

 PROCESSO PARA INSCRIÇÃO

a. O processo de requerimento de inscrição para o ECOE atende os seguintes critérios:

   1. Para militares pertencentes ao EB:
      a) O processo de inscrição segue os mesmos trâmites dos requerimentos para o CAC e CFEsp de acordo com a DRISME – CIOpEsp em seu art. 13 e ANEXO “A”, devendo ainda assim informar à 3ª Seção do Comando de Operações Especiais.

   2. Para militares não pertencentes ao EB:
      a) Forças Armadas, Polícia Civil das Unidades da Federação, Departamento de Polícia Federal e Militares de Nações Amigas:
         - O processo de solicitação de vagas deve ser encaminhado para o Estado-Maior do Exército e à 3ª Seção do Comando de Operações Especiais.

      b) Polícia Militar das Unidades da Federação:
         - O processo de solicitação de vagas deve ser encaminhado para o Estado-Maior do Exército e à Inspetoria Geral das Polícias Militares - 3ª Subchefia do Comando de Operações Terrestres e à 3ª Seção do Comando de Operações Especiais.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página