Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Complexo dos Fortes

Publicado: Terça, 28 de Abril de 2015, 08h37 | Última atualização em Domingo, 08 de Janeiro de 2017, 12h06 | Acessos: 5246

Para aqueles  que procuram um passeio que une a história do país e belezas naturais

Aqueles que procuram um passeio que une a história do país a belezas naturais e arquitetônicas incríveis, fortificações militares e paisagens deslumbrantes, Niterói supera todas as expectativas, pois abriga o maior complexo de Fortes da América Latina. Em 2012 a paisagem da cidade do Rio de Janeiro ganhou o título de Patrimônio Mundial, concedido pela Unesco, incorporando o complexo de fortes de Niterói da entrada da Baía de Guanabara .

 

Bateria de Nossa Senhora da Boa Viagem: conhecida como Forte da Boa Viagem ou Fortim da Boa Viagem, localiza-se na ilha de mesmo nome, no interior da baía da Guanabara, cerca de 1,5 quilômetros ao sul do centro histórico de Niterói, no estado do Rio de Janeiro, no Brasil.

 

 

Fortaleza de Santa Cruz: Foi a primeira fortaleza erguida em volta da Baía de Guanabara, Sua origem data de 1555. Veio recebendo melhorias em diversas épocas até a construção que se vê atualmente que data de 1807, sendo composta de 41 casamatas, distribuídas em dois andares e onde podem ser vistos canhões seculares. Pode ser vista também a Capela de Santa Bárbara, em estilo colonial que abriga no seu interior uma imagem de tamanho natural, em madeira maciça e ornada de pedras preciosas, o relógio de sol de 1820 construído em mármore, prisões coloniais,  local de fuzilamento e um antigo paiol. Atualmente abriga a Bateria Comando e o Comando da Artilharia Divisionária da 1ª Divisão de Exército.

 

 

 

Forte Barão do Rio Branco : Suas construções, em cantarias de pedras e cimentadas com óleo de baleia, cal de conchas e mariscos, iniciaram-se no séc. XIX. Constitue um complexo que reúne uma série de atrações para os turistas ao lado das belezas naturais. Suas instalações são ocupadas atualmente pelo 21º Grupo de Artilharia de Campanha.

 

 

 

Forte Imbuhy: Ocupa uma área construída de 2.400 m2, com cantarias de pedras retiradas da costa do mar, cimentadas com óleo de baleia, cal e mouriscos triturados, onde se sobressaem as cúpulas encouraçadas de ferro endurecido e aço-níquel, dotadas de poderosos canhões. Atualmente em suas instalações funciona o Centro de Instrução de Operações Especiais.

 

 

 

Forte de São Luís: Construído no séc XVIII, no alto do Morro do Pico. Belíssima muralha de pedra, com um grande portão de entrada, fazem do forte uma das áreas mais visitadas do Rio de Janeiro.

 

 

 

Forte do Pico: Encontra-se a 230 metros de altitude, no Morro do Pico. Sua construção foi concluída nó inicio do séc. XX. Conta com antigos obsuleiros de 280 mm, importados da Alemanha. Do alto do pico, avista-se, de um lado, a Fortaleza de Santa Cruz, o Morro da Urca, a Baía de Guanabara, e toda a cidade do Rio de Janeiro. Do outro lado, a enseada de Charitas e São Francisco, o Forte Imbuí e uma visão deslumbrante do Oceano Atlântico.

 

 

Forte Gragoatá: As primeiras baterias datam de 1600, entretanto, a construção vista atualmente é do séc XVIII. O nome Gragoatá vem de uma planta abundante no morro ao lado do Forte que se chama gravatá, da família das bromeliáceas. Este forte abriga atualmente a 2ª Circunscrição de Serviço MIlitar.

Fim do conteúdo da página